Voltar

Marketplace: o que é, como funciona e vantagens

É sabido que o e-commerce tem ganho cada vez mais protagonismo. Ter uma loja online passou a ser um requisito para qualquer empresário negócio. Contudo, caso tenha um baixo orçamento para a criação da sua loja online mas queira vender os seus produtos na Internet, pode sempre optar pelos marketplaces.

Os marketplaces têm cada vez mais utilizadores devido ao baixo investimento inicial. Além disso, são uma tendência num mercado em ascensão com imenso potencial e, por isso, uma excelente forma para entrar no mundo das vendas online e fazer crescer o seu negócio.

O que é um marketplace?

O marketplace é uma plataforma de vendas online que concentra várias lojas no mesmo local, como um shopping virtual, tendo apenas de se registar como vendedor.

Embora não tenha nenhum custo de implementação inicial associado, este tipo de plataformas cobra, em troca, uma taxa sobre os produtos vendidos. Esta comissão pode variar entre os 9% e os 30%, dependendo do nível de divulgação que deseja.

A Amazon e o AliExpress são alguns exemplos de marketplace de sucesso mundial.

Qual é a diferença entre um marketplace e uma loja online?

Ambos são plataformas de e-commerce ou comércio eletrónico, mas funcionam de forma diferente. Ao contrário do marketplace, a loja online requer um investimento inicial significativo, sendo, contudo, uma plataforma que lhe pertence e sobre a qual tem total controlo, vendendo única e exclusivamente os seus artigos. Além disso, a totalidade da margem de lucro é para si.

Mas atenção, pode sempre optar por vender os seus produtos através dos dois canais, alcançando mais pessoas e abrindo mesmo as portas à internacionalização do seu negócio.

Como funciona um marketplace?

A partir do momento em que é feito o registo no marketplace e adicionados os seus produtos, a plataforma divulga-os com base na pesquisa do comprador.

O marketplace funciona como uma parceria entre os vendedores e a plataforma. Enquanto a plataforma garante o melhor ambiente de vendas, a segurança das transações financeiras e investe em anúncios e e-mail marketing, os vendedores são responsáveis por introduzir os produtos, completar as informações com descrições, preços e imagens e tratar do envio do artigo.

Assim, o vendedor deve receber o pedido, fazer o tratamento e logística do stock, embalar o artigo, emitir o documento de transporte e enviar a encomenda pela transportadora selecionada. Após a entrega ser efetuada, o vendedor recebe o respetivo montante com a comissão já aplicada pelo marketplace.

Há plataformas que tratam desde o recebimento até à sua entrega aos clientes, como é o caso da Amazon que tem uma gestão logística muito bem estruturada e eficiente.

Em caso de troca ou devolução, geralmente, é o marketplace quem se responsabiliza por toda a intermediação, salvaguardado todos os intervenientes.

Como muitas destas plataformas englobam a venda dos seus próprios produtos e os produtos de outros vendedores, os consumidores podem não conseguir distinguir se estão a comprar numa loja online ou num marketplace. Ainda assim, é possível saber esta informação ao analisar, nas informações do produto, se este é “enviado de A e vendido por B” (no caso de um marketplace) ou “enviado de A e vendido por A” (se for uma loja online).

Quais são as vantagens dos marketplaces?

Para os vendedores, as principais vantagens na adesão a este tipo de plataformas centram-se:

  • Estrutura e mecanismo de venda preparado para utilização imediata;
  • Atuação com um novo canal de venda;
  • Investimento reduzido para a sua implementação e/ou manutenção;
  • Funcionamento 24h por dia, 7 dias por semana;
  • Impacto positivo na visibilidade, divulgação e, consequentemente, reputação da marca junto do consumidor;
  • Fidelização de clientes;
  • Maior oportunidade de vendas.

Já na perspetiva dos compradores, os marketplaces representam os seguintes benefícios:

  • Praticidade, pois podem ver e analisar várias ofertas para o mesmo artigo no mesmo local;
  • Possibilidade de comprar produtos de diferentes lojas com apenas um pagamento, ao invés de fazer uma operação por artigo;
  • Mais confiança e segurança ao realizar uma compra;
  • Boa experiência de compra.

E as desvantagens?

Embora capazes de alavancar o seu negócio, apresentam as seguintes limitações para os vendedores:

  • Concorrência elevada;
  • Margem de lucro mais reduzida;
  • Divulgação das avaliações negativas;
  • Baixo poder de negociação.

Aliar os marketplaces à estratégia da marca é uma boa aposta. No entanto, não deve descurar ter a sua própria loja online, personalizada, diferenciadora e que lhe permita uma vantagem competitiva em relação aos seus concorrentes.

À semelhança da presença online, é necessário recorrer a tecnologia que simplifique os seus processos e agilize a sua gestão do dia a dia. Um programa de faturação flexível como o POS Cloudware, além de lhe permitir gerir as vendas e agrupar os valores dos vários canais de venda, integra com diversas plataformas de e-commerce, nomeadamente a Shopkit e o WooCommerce, as Lojas Online CTT e a Jumpseller.

Só assim é capaz de ter uma visão global e em tempo real do negócio, agregando toda a informação e acompanhando a sua evolução num só local, incluindo naturalmente a gestão do inventário e stocks de cada canal de venda.

Por permitir trabalhar com vários pontos de venda associados a uma única conta, torna possível fazer uma distinção comparativa entre os diversos canais e obter os respetivos relatórios, acompanhar a evolução das vendas e identificar os artigos mais vendidos.

Trabalhe de forma autónoma e em segurança, cumprindo todas as obrigações fiscais, e faça evoluir o seu negócio. Experimente já!